Bienal de Quadrinhos de Curitiba traz vencedor do Jabuti e autora do “Kit Gay” em HQ

11 de agosto de 2023

Convidadas e convidados nacionais e internacionais apresentam diversidade de temas e gênero na 7ª edição do evento, que acontece entre 7 e 10 de setembro

A 7ª edição da Bienal de Quadrinhos de Curitiba, que volta a ser presencial e acontece de forma gratuita no Museu Municipal de Arte (MuMA) entre 7 e 10 de setembro, divulgou as artistas e os artistas convidados de sua programação, que envolve palestras, oficinas, debates, exposições, visitas guiadas, rodada de negócios, sessões de autógrafos, o duelo HQ, a tradicional feira de HQs e uma festa para reunir público e convidados em torno da chamada nona arte.

Para discutir e apresentar o tema “Resistências, Existências: Quadrinhos e Corpos Plurais”, estarão presentes mais de 40 artistas, nacionais e internacionais, que contemplam uma abrangência geográfica, e também temática (veja lista completa abaixo). A homenageada da edição, a letrista Lilian Mitsunaga, responsável pelo letreiramento das edições brasileiras dos quadrinhos da Disney e criadora de fontes para edições brasileiras de obras de Will Eisner e Craig Thompson, também estará presente.

Entre os internacionais, estão o jornalista sueco Fredrik Strömberg, presidente da Associação Sueca de Quadrinhos; a quadrinista argentina Maria Luque, autora de “A Mão do Pintor”, HQ publicada no Brasil pela editora Lote 42; a francesa Coco Corine Ray, colaboradora da revista Charlie Hebdo; a ilustradora e cartunista sueca Joanna Rubin Dranger; a francesa Chantal Montellier, uma das principais artistas da nona arte francesa; e o quadrinista, jornalista e jazzista de Kosovo Gani Jakupi.

Outros dos presentes são Walkir Fernandes, fundador do Dogzilla Studio e codiretor de arte na série “O Menino Maluquinho” (Netflix); Raphaela Corsi (Karmaleão), quadrinista e ilustradora que trabalha com religiões de matriz africana e direitos humanos; Fulvio Pacheco, autista militante e coordenador da Gibiteca de Curitiba; TAI Silva, artista visual e professora de Belém (PA), que cria com inspiração nas mulheres amazônidas; Ramon Vitral, jurado do Prêmio Jabuti 2022 e autor de reportagens em quadrinhos; Carol Ito, vencedora do prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos de 2022 na categoria “Literatura e Artes Plásticas; Marcelo D’Salete, autor de “Angola Janga” (2018), HQ vencedora do Prêmio Jabuti; Marília Marz, chargista do jornal Folha de S. Paulo; Vitorelo, autore do “Kit Gay”, sátira ilustrada com temas do universo LGBTQIA+; Sirlene Barbosa, vencedora do prêmio ecumênico do Festival de Angoulême pela obra “Carolina”, sobre a escritora Carolina Maria de Jesus; Gabriela Borges, fundadora do Mina de HQ, mídia independente e feminista sobre histórias em quadrinhos; além de Ilustralu, artista e influencer potiguar, Triscila Oliveira, escritora e ativista; e Rafa Campos, vencedor do prêmio “Europa Newspaper Award”, pelo seu trabalho no jornal Folha de S. Paulo.

Curadoria feminina
Parte importante da Bienal de Quadrinhos é a sua curadoria. A cada edição temática, um grupo de especialistas em quadrinhos (de diversas áreas) se reúne para pensar no perfil dos convidados e convidadas, nas ações e motes para debates e palestras. A edição de 2023 tem uma curadoria 100% feminina. Mitie Taketani, proprietária da Itiban Comic Shop; Maria Clara Carneiro, pesquisadora, tradutora de quadrinhos e professora do departamento de Letras Estrangeiras Modernas da UFSM; e Dandara Palankof, tradutora, editora no estúdio de produção editorial de super-heróis da Mythos Editora e coeditora da Revista Plaf, especializada em quadrinhos.

“A retomada dos encontros é essencial para manter a esperança cada vez mais viva. É num espaço de trocas como a Bienal que nascem novas reflexões e perspectivas, não só sobre aquilo a que se dedica o evento e a expressões que nos são tão caras, mas que também transbordam para nossas vivências como um todo, que nos fortalecem para todas essas outras batalhas que precisamos travar”, dizem as curadoras, em coro.

Durante quatro dias, palestras, debates, exposições, oficinas, sessões de autógrafos com artistas convidados e convidadas, feira, festas e duelos de HQS vão movimentar a área interna e externa do MuMA. O evento é um dos mais tradicionais do Brasil, e a expectativa em “voltar para casa” é um ingrediente extra.

Artistas participantes, em ordem alfabética

André Toral
Paulistano com formação em antropologia e história, começou a publicar em revistas como “Animal” e “Chiclete com Banana”. É autor de “Holandeses”, “Alma que Caiu do Corpo” e “O Filho do Norte”, lançados pela Veneta.

Batista
Cartunista, músico e produtor editorial. Co-editor da revista “A Zica”, autor da coletânea de cartuns “O que conto quando conto uma piada” e roteirista da novela gráfica “Pedro e o Imperador”.

Benett
Formado em Jornalismo, Benett é chargista da Folha de S. Paulo e sócio-fundador do jornal Plural, de Curitiba. É autor dos livros “Amok – Cabeça, Tronco e Membros” (2013), “Anedonia” (2022) e “Happy”, a sair pela editora Arte e Letra.

Carol Ito
É quadrinista e jornalista. Trabalha com jornalismo em quadrinhos e já publicou em veículos como Revista Piauí, Agência Pública e Revista Trip. É vencedora do prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos de 2022, na categoria “Arte”, e destaque na lista Forbes Under 30, da revista Forbes Brasil, na categoria “Literatura e artes plásticas”. Também é autora da série de tiras Novo Anormal, publicada nas redes da Revista TPM desde 2020.

Carol Sakura
Doutora em Letras pela UFPR. Atua como escritora e roteirista. Autora do livro “Anacleto, O Balão”. Foi codiretora e roteirista do curta-metragem “Anacleto, O Balão” e do curta “Apneia”, que recebeu o prêmio de melhor filme no Festival de Gramado em 2019. É autora do livro de contos “A Batida dos Dias”, e roteirista da HQ “O Filho Mau” e de diversas coletâneas em quadrinhos.

Cecilia Marins
Cecilia Marins é quadrinista e jornalista. É autora da reportagem em HQ “Parque das Luzes”, que conta histórias de mulheres em situação de prostituição no parque mais antigo de São Paulo. Foi a chargista mais jovem do Roda Viva e uma das ilustradoras do “AmarElo”, documentário do Emicida para a Netflix, indicado a um Emmy Internacional. Já trabalhou pra ONU, Intrínseca, Natura, Netflix, GNT e Catraca Livre. Adora quadrinhos tristes e comida apimentada.

Dani Marino
É coordenadora editorial da Mina de HQ e pesquisadora de HQs e questões de gênero. Mestra em Comunicação e Doutoranda em Ciência da Informação pela ECA/USP.

Daniel HDR
Ilustrador e coordenador do Dínamo Estúdio, publica atualmente a maxissérie Ordinary Gods (Image Comics, e Nightwing – DC Comics – Ganhadora do Eisner 2023 de melhor título mensal). Ganhador do Dragon Awards de melhor Graphic Novel com a série Battlestar Galactica: Counterstrike.

Fábio Vermelho
Começou a nausear os leitores em 2015, na sua revista Weird Comix. Logo, ficou conhecido pelo traço extravagante e pelas histórias tortas, fortemente inspiradas por tudo que há de sujo, depravado e horroroso. Publicou a HQ “Assassino na Casa” (2019) pela coleção Ugrito da Ugra Press, além de três livros pela Escória Comix: “O Deplorável Caso do Dr. Milton” (2019), “400 Morcegos” (2020) e “Bebês Maníacos da Lagoinha” (2021) e um pela Veneta: “Eu Fui um Garoto Gorila” (2021).

Fulvio Pacheco
Autista militante, coordenador da Gibiteca de Curitiba e quadrinista com 46 publicações indicado 6 vezes ao Troféu HQ Mix. Destaque para “A Loira Fantasma de Curitiba”, “Folk Horror CWB”, “A História dos Quadrinhos e da Gibiteca de Curitiba”, “Relatos Azuis” e “Relatos Autistas”, que será lançado na Bienal de Quadrinhos de 2023.

Gabriela Borges
Jornalista, curadora de conteúdo e mestra em antropologia. Em 2015, fundou a Mina de HQ, mídia multiplataforma independente e feminista sobre histórias em quadrinhos feitas por artistas mulheres, pessoas trans e não bináries. A MHQ se tornou referência em incentivo à leitura, curadoria crítica com foco em diversidade e gênero; foi finalista do Prêmio Jabuti, em 2022, e premiada por dois dos principais troféus de quadrinhos do Brasil, HQ MIX e Angelo Agostini. Gabriela é autora do livro “Encuentre su Clítoris” (Marca de Fantasia), sobre mulheres nas historietas argentinas, e editora da antologia “Quadrinhos Queer” (Skript).

Gabriela Güllich
Jornalista e quadrinista, vencedora do Prêmio HQMix com o livro-reportagem São Francisco. Atua com jornalismo em quadrinhos e ilustração editorial, cobrindo meio ambiente e direitos humanos. Colunista da Mina de HQ.

Hello D’Ângelo
Helô D’Ângelo é ilustradora e quadrinista, vencedora do Troféu HQ Mix em 2022 na categoria web tiras. Ela é autora dos livros em quadrinhos “Dora e a gata” (2019), “Pequeno manual de defesa pessoal” (Bebel Books, 2022), “Nos olhos de quem vê” (Harper Collins, 2022) e de “Isolamento” (2020), finalista do HQ Mix e do CCXP Awards em 2021.

Luiza de Souza (Ilustralu)
Nasceu em Currais Novos (RN) e está na internet como @ilustralu. Atualmente, trabalha como ilustradora, faz quadrinhos e participa de projetos empolgantes para ganhar a vida. Sua é a de contar as histórias que sempre quis ler. “Arlindo” (Seguinte, 2021) é uma dessas histórias e foi vencedora de Melhor Quadrinho na CCXP Awards 2022 e finalista do Prêmio Jabuti 2022. A artista fechou 2022 vencendo 4 categorias do Prêmio HQ Mix Brasil.

Ivo Puiupo
Nascido em Lisboa, em 1996, reside atualmente em Santos (SP). Iniciou sua carreira nos quadrinhos em 2011 e desde então vem participando da cena artística luso-brasileira. Seu trabalho foi publicado em antologias, revistas e livros nas Américas e na Europa. Puiupo investiga e busca tensionar as linhas entre quadrinhos experimentais e outros suportes de sequencialidade narrativo-visual tais como fotografia e pintura.

João Pinheiro
É artista visual e quadrinista. Tem publicado suas HQs e ilustrações em revistas do Brasil e do exterior. Já participou de diversas exposições e é coautor da HQ “Carolina” (Veneta, 2016), publicado também na França e no Peru, feita em parceria com Sirlene Barbosa, indicado ao prêmio Jabuti, premiado no HQ Mix e no Festival de Angoulême.

Karol Vitorelo
É autora do “Kit Gay” (Editora Veneta, 2021), uma sátira ilustrada que traz com leveza e irreverência temas do universo LGBTQIA+ (menção honrosa Mix Literário, indicação CCXP Awards e HQ Mix). Mestre em Semiótica pela PUC-SP, atualmente trabalha em seu novo livro “A Semiótica do Mamilo”, sobre as violências institucionais às quais um corpo trans não-binário está submetido e sua busca por uma mastectomia.

Karinna D’Alessandre (VodKarina)
É tatuadora há três anos e meio e uma das idealizadoras do estúdio Power Puff Tattoo. Além da tatuagem, atua há 17 anos como baterista e atualmente toca nas bandas Cassandra, Espectro e As Más Notícias.

Lark
É quadrinista e ilustradora curitibana. Formada em Artes Visuais pela UFPR, publica tiras online desde 2018, e publicou o livro “Como Lidar com seus Fantasmas” em 2020 e “Como Abraçar um Fantasma” em 2022, ambos pela Arte & Letra. Publica a série do Escritório dos Pássaros nas redes sociais desde 2022.

Laura Mazzo
É ilustradora e quadrinista independente de Campinas (SP) e atualmente mora em Curitiba (PR) onde trabalha como arquiteta popular no coletivo de assessoria técnica Terra Batida. Tem espírito fanzineiro e se interessa por processos colaborativos. Também se aventura na marcenaria, animação e muralismo.

Lilian Mitsunaga
Natural de Mauá, São Paulo. Arquiteta formada pela USP, começou a fazer letras à mão para a editora Abril, na década de 1980 e migrou para as letras digitais no fim dos anos 1990. Hoje, utiliza fontes comerciais e cria novas a partir da grafia de artistas. Está à frente do estúdio Lua Azul e mora em São Paulo.

Livia Deboni
É ilustradora, artista visual e quadrinista, formada em design gráfico, e seu trabalho sempre está transitando entre estas áreas de criação. Desde 2016 produz quadrinhos independentes e participa de feiras de zines, e em 2022 teve seu trabalho publicado na coletânea de quadrinhos Ragú 9, indicada ao prêmio Angoulême na categoria de HQ alternativa. Teve sua primeira exposição solo em 2023, na qual investigava questões de apagamento e perpetuação do imaginário romântico lésbico.

Marcelo D’Salete
É autor de histórias em quadrinhos, ilustrador e professor. Publicou os livros “Noite Luz”, “Encruzilhada”, “Cumbe”, “Angola Janga” e “Mukanda Tiodora”. Suas narrativas abordam a realidade brasileira no presente e no passado, com atenção à presença negra e periférica. As obras já ganharam o prêmio Jabuti, Grampo, HQMIX, Eisner e o Rudolph Dirks Awards.

Mariana Viana
Uma das idealizadoras do Fora do Plástico, veículo de comunicação voltado aos quadrinhos, com um conteúdo amplo e diversificado. Além de impressões sobre HQs que têm sido lançadas no Brasil, a página também produz notícias, reportagens e entrevistas em diferentes plataformas como Instagram, YouTube e site.

Marília Marz
É ilustradora e quadrinista. Entre seus principais trabalhos estão a HQ curta “Pra Onde Vamos, Pai?”, para o programa IMS Convida do Instituto Moreira Salles; e a HQ autoral “Indivisível”, que lhe rendeu uma indicação ao troféu HQ MIX 2020 na categoria Novo Talento – Roteirista. “Indivisível” também foi aprovado no PNLD (Plano Nacional do Livro Didático) Literário 2021. É também chargista do jornal Folha de S. Paulo aos sábados.

Mongehan
Nome artístico de Eric Han, ilustrador asiático-brasileiro descendente de coreanos. Busca o desenvolvimento de uma linguagem própria na arte e no desenho, para que o trabalho seja sempre seu reflexo e um veículo para entender-se melhor como artista e pessoa racializada. Seus trabalhos permeiam narrativas autobiográficas, histórias ficcionais influenciadas por quadrinhos leste-asiáticos e tirinhas existenciais e humorísticas. É autor dos quadrinhos “Criança Amarela”, “Hamoni”, “Criança Amarela Colorida” e “Mondolís”.

Mylle Pampuch (antes Mylle Silva)
Escreve e edita livros. Publicou oito histórias em quadrinhos, entre elas “A Samurai” e “Doce Jazz”, e os livros de contos “A Sala de Banho” e “Realidades (pré) distópicas para ler antes de dormir”. Ministra oficinas de escrita criativa, orienta autores em seus projetos literários e incentiva todos que querem escrever e publicar seus próprios livros e histórias.

Pedro Ferreira
Um dos idealizadores do Fora do Plástico, veículo de comunicação voltado aos quadrinhos, com um conteúdo amplo e diversificado. Além de impressões sobre HQs que têm sido lançadas no Brasil, a página também produz notícias, reportagens e entrevistas em diferentes plataformas como Instagram, YouTube e site.

Rafa Campos
Rafa Campos nasceu em São Paulo, em 1970. Desde 2008 publica quadrinhos, charges, cartuns, tiras e ilustrações em editoras como Cia. das Letras e Veneta, e revistas e jornais como a Folha de S.Paulo e Revista Piauí, além de publicações especializadas em quadrinhos. Em 2012 recebeu o prêmio “Society for New Design” e em 2013 o “Europa Newspaper Award”, pelo seu trabalho no jornal Folha de S. Paulo.

Ramon Vitral
É jornalista, editor do blog Vitralizado (www.vitralizado.com) e autor do livro “Vitralizado – HQs e o Mundo” (MMarte). Já entrevistou alguns dos principais nomes das HQs contemporâneas e publicou reportagens sobre quadrinhos em publicações como Folha de S.Paulo, O Globo, O Estado de S. Paulo, Rolling Stone e UOL. Foi colunista do site do Instituto Itaú Cultural, jurado do Prêmio Jabuti 2022 e vencedor do Prêmio Editora Globo de Jornalismo (categoria Educação e Cultura) em 2016 e 2017.

Raphaela Corsi (Karmaleão)
É ilustradora e quadrinista curitibana. Trabalha com a diversidade das culturas brasileiras, religiões de matriz africana e direitos humanos. Formada em Artes Visuais com pós-graduação em História Cultural e Antropologia. É professora na Gibiteca de Curitiba. Já publicou dois livros impressos em quadrinhos e divulga outros trabalhos online, no perfil @karma.leao.

Riotsistah
Artista autodidata que aborda o protagonismo negro com boas doses de podreira em seus trabalhos, que vão de esculturas em cerâmica fria, histórias em quadrinhos, ilustrações e colagens manuais. Além de participar de antologias de HQ, em 2021 lançou seu primeiro quadrinho, intitulado “Máquina Assassina”, pela Escória Comix.

Sirlene Barbosa
É doutoranda em Educação, na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo USP (2020-); mestra em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUC-São Paulo) (2010-2013); professora da Rede Municipal da cidade de São Paulo (2009-); facilitadora-tutora da UNIVESP (2023-); autora da História em Quadrinhos (HQ) “Carolina” (Veneta: São Paulo, 2016), obra que narra parte da vida da escritora Carolina Maria de Jesus (1914-1977). O livro foi indicado ao Jabuti 2017 e venceu o prêmio ecumênico do considerado maior prêmio de HQs da Europa, o francês Angoulême (2019). A obra foi lançada na França (2018) e, em 2022, na Embaixada do Brasil, no Peru.

TAI Silva
Artista visual e professora nativa de Mairi (Belém-PA), se inspira principalmente nas mulheres amazônidas e em sua cultura ancestral. Produziu trabalhos para empresas como Nivea, Grendha e Salon Line, participou de publicações como “Death Hunt” (Pow Entertainment e Eleven Dragons, 2022) e “Causos de Visagens para Crianças Maluvidas” (Coletivo Quadrinistas Indígenas, 2022).

Triscila Oliveira
Ciberativista antirracista, escritora e roteirista, coautora das séries em tirinhas “Os Santos” e da premiada “Confinada”.

Walkir Fernandes
Fundador da Dogzilla Studio, onde produz e dirige animações para séries, longas e curtas. Entre os prêmios, recebeu o de Melhor Curta-metragem no 47º Festival de Cinema de Gramado, Melhor Curta-metragem pela crítica no 27º Animamundi, Prêmio Canal Brasil no 23º Cine-PE, Melhor Filme no 33º Eko Film Festival e três indicações no GP do Cinema Brasileiro. É codiretor de arte na série O Menino Maluquinho (Netflix). Nos quadrinhos seu mais recente trabalho foi a graphic novel “O Filho Mau”, finalista em duas categorias no 33º HQMix.

Yoshi Itice
É de Curitiba, formado em Design Gráfico pela UFPR e trabalha com quadrinhos desde 2010. Autor do livro-jogo “Last RPG Fantasy”, da série de tirinhas “Batsuman” e da série de quadrinhos “Eventos Semiapocalípticos”. Yoshi foi anunciado como autor da graphic MSP do personagem Do Contra, que será lançado em 2024.

SERVIÇO
Bienal de Quadrinhos de Curitiba
De 7 a 10 de setembro de 2023
MuMA – Museu Municipal de Arte – Portão Cultural – Avenida República Argentina, 3430.
Gratuito
Instagram: @bienaldequadrinhos
www.bienaldequadrinhos.com.br

Peça sua música

Quer sugerir uma música para rolar na minha programação? É só preencher os campos abaixo:

Aplicativo

Você pode ouvir a rádio Mundo Livre direto no seu smartphone.

Disponível no Google Play Disponível na App Store

2023 © Mundo Livre FM. Todos os direitos reservados.